Notícias do Grupo Werlang

Exportação de soja gera receita 24% maior em 2016

39020-k7MI-U20562880671HsH-1024x683@AGRO-Web
A China, principal destino das exportações paranaenses, aumentou em 29,9% as encomendas no primeiro semestre

 

As vendas de cereais, com destaque para o milho, tiveram acréscimo de 40,2% em relação ao mesmo período do ano passado

 

A boa safra agrícola, o câmbio e a retomada das vendas externas de automóveis fizeram o Paraná fechar o primeiro semestre com um crescimento de 7,1% nas exportações. As receitas somaram US$ 7,87 bilhões nos primeiros seis meses de 2016, contra US$ 7,34 bilhões no mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exerior (Secex) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.No Paraná, a soja se manteve na liderança das exportações no primeiro semestre, com uma participação de 27,5% do total exportado. As vendas externas do grão geraram uma receita de US$ 2,17 bilhões, um aumento de 24,2% sobre o valor registrado no mesmo período do ano passado (US$ 1,74 bilhão). As vendas de cereais, com destaque para o milho, geraram renda de US$ 224,3 milhões, um acréscimo de 40,2% em relação a 2015.

A China, principal destino das exportações paranaenses, aumentou em 29,9% as encomendas no primeiro semestre na comparação com o mesmo período de 2015, alcançando US$ 2,41 bilhões. Argentina comprou 31% mais, com importações de US$ 671,7 milhões. Os Estados Unidos, por sua vez, importaram US$ 377,6 milhões, 4% mais do que no mesmo período do ano passado.

O resultado paranaense contrastou com o desempenho das exportações brasileiras. No mesmo período, o Brasil registrou uma queda de 4,3%, passando de US$ 94,3 bilhões para US$ 90,3 bilhões, impactado pelo recuo das vendas de minério de ferro e derivados de petróleo.

Para o diretor presidente do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), Julio Suzuki Júnior, a tendência é que o Paraná feche o ano com resultado positivo nas exportações, rompendo dois anos seguidos de queda. “Ainda que não tenhamos o impacto das exportações da soja no segundo semestre, já que os embarques se concentram na primeira metade do ano e a valorização recente do real possa trazer um pouco de preocupação, o Paraná deve fechar no azul as exportações de 2016”, afirma.

Importação

A valorização do dólar, por outro lado, derrubou as importações nos últimos meses. No primeiro semestre, as receitas caíram 22,6%, de US$ 6,6 bilhões para 5,09 bilhões. A queda atingiu a maioria dos produtos. Entre os maiores recuos nas importações ficaram automóveis, com retração de 62,1% (de US$ 354, 2 milhões para US$ 134,2 milhões); óleo bruto de petróleo, com 64,9% (US$ 363,6 milhões para US$ 127,6 milhões).

Com o aumento das exportações e diminuição das importações, a balança comercial do Paraná fechou os primeiros seis meses com saldo positivo de US$ 2,78 bilhões. O valor registrado no semestre equivale a quase todo o superávit registrado no ano passado, de US$ 2,46 bilhões.

 

Fonte: http://goo.gl/49BMwj