Notícias do Grupo Werlang

Bayer eleva oferta pela Monsanto para US$ 64 bilhões

88029FPIG5-1205013-3132-ko7G-U20293473646O0D-1024x526@GP-Web
O aumento da oferta afetou a Bolsa de Nova York, onde a ação da Monsanto chegou a subir mais de 3%, a US$ 104.

 

Empresa alemã pagaria US$ 125 por ação ante proposta de US$ 122 por papel

 

O grupo alemão de produtos químicos Bayer anunciou nesta quinta-feira (14) detalhes de uma nova e mais atraente oferta de US$ 64 bilhões pela Monsanto, em uma tentativa de colocar a companhia de sementes sob pressão para aceitar a proposta. O movimento mostra que as duas companhias fizeram pouco progresso em suas negociações desde que a Monsanto rejeitou um lance anterior da Bayer dizendo que ainda estava aberta a “conversas contínuas e construtivas”.

A Bayer disse nesta quinta-feira que também elevou sua oferta para US$ 125 por ação em dinheiro, ante US$ 122 anteriormente (em um total estimado de US$ 62 bilhões), e ofereceu à Monsanto um pagamento de US$ 1,5 bilhão caso a transação não seja aceita pelos órgãos antitruste, “reafirmando sua confiança em uma conclusão com sucesso”.

“A oferta em dinheiro pela Monsanto foi aumentada até US$ 125 por ação após informações suplementares obtidas em negociações de caráter privado”, indicou a Bayer em comunicado.

O aumento da oferta afetou a Bolsa de Nova York, onde a ação da Monsanto chegou a subir mais de 3%, a US$ 104.

O presidente executivo da Monsanto, Hugh Grant, disse no mês passado que a companhia estava em negociações com a Bayer e outras companhias do setor sobre “opções estratégicas alternativas”. Ele não nomeou essas companhias, mas houve relatos de que a Monsanto havia discutido uma combinação de seus negócios com a Basf.

Nesta quinta-feira, fontes reafirmaram que a Monsanto também está negociando com a Basf, rival da Bayer, sobre uma possível fusão das respectivas divisões de produtos agroquímicos, indicou a agência de notícias Bloomberg. “As negociações estão em sua primeira fase”, disse a fonte.

A Bayer também disse que respondeu questões da Monsanto sobre temas regulatórios e financeiros e que está preparada para assumir certos compromissos junto aos reguladores, se necessário, para fechar o acordo. O anúncio da possibilidade de fusão entre as duas companhias levantou preocupações no mundo agrícola pelo possível impacto no preço de pesticidas ou na expansão de cultivos transgênicos.

“Estamos convencidos de que esta transação é a melhor oportunidade para proporcionar aos acionistas da Monsanto um valor altamente atrativo, imediato e seguro”, afirmou Wener Baumann, que integra o conselho da empresa alemã. A Bayer está totalmente comprometida a levar a sério essa operação.

A Monsanto disse que seu conselho irá reavaliar a última proposta da Bayer, em consulta junto a seus assessores legais e financeiros. A empresa pode responder ainda nesta semana, segundo pessoas com conhecimento do assunto, que pediram para não serem identificadas porque as decisões são confidenciais.

 

Fonte: http://goo.gl/PNgqSu